Últimos dias para aproveitar os melhores descontos do ano 

0

0

Dias

0

0

Horas

0

0

Minutos

0

0

Segundos


Caso Clínico: Homem, 68 anos, portador de hipertensão arterial, diabetes mellitus tipo 2 e hipertrofia prostática benigna

Carlos Eduardo Pompilio

Carlos Eduardo Pompilio

Italo Antunes Franzini

01/04/2022

Atualizado em01/04/2022

1 min
Caso Clínico: Homem, 68 anos, portador de hipertensão arterial, diabetes mellitus tipo 2 e hipertrofia prostática benigna

Homem, 68 anos, portador de hipertensão arterial, diabetes mellitus tipo 2 e hipertrofia prostática benigna, foi internado por quadro de Pneumonia Adquirida na Comunidade Grave (lobar inferior direita, PSI/PORT escore na admissão: 128) adequadamente tratada em leito de UTI com antibioticoterapia empírica (Ceftriaxone e Claritromicina), sem isolamento microbiológico (culturas negativas), com melhora da hipoxemia, trabalho respiratório e defervescência do quadro febril. Após 05 dias foi transferido para leito de enfermaria com objetivo de desmame de oxigenoterapia. No 6° dia de internação, iniciou febre (38,7°C), taquicardia (controles: FC 105-110) e episódio de retenção urinária aguda. Optou-se por nova investigação com culturas (2 pares de hemoculturas periféricas pareadas, e urocultura no ato da passagem da sonda vesical) e escalonamento antibioticoterápico para Piperacilina-Tazobactam. Após 24 horas, a equipe recebe o seguinte resultado de urocultura:  

 

Tabela 1. Cultura aeróbia - Urina de sonda vesical de demora.

ANTIBIOGRAMA
AMICACINA <=2 S
AMPILICINA >=32 R
CEFEPIME 8 D
CEFOXITINA >=64 R
CEFTAZIDIMA 16 I
CEFTRIAXONE >= 64 R
CEFUROXIMA >= 64 R
CIPROFLOXACINA >=4 R
ERTAPENEM <= 0,5 S
GENTAMICINA >= 16 R
IMIPENEM <= 0,25 S
PIPERACICLINA-TAZOBACTAM 16 S

LEGENDA: S – sensível; I – intermediário; R – resistente; D – sensível dose dependente; P – positivo; N – negativo; * - em falta.

OBS: Teste de sensibilidade – Método: Disco-difuso e/ou automático (Vitek). Os resultados numéricos expressam MIC (mg/mL) – Concentração Inibitório Mínima – Vitek. Padronização de drogas segundo CLSI M100 (Clinical Laboratory Standards Institute).

 

Pensando nos dados clínicos analisados, assinale a conduta correta a ser adotada:

 

a) Manter piperacilina-tazobactam.

b) Trocar por Ertapenem.

c) Trocar por Cefepime em doses altas.

d) Trocar por Meropenem.

e) Trocar por Amicacina.


Tags

CLÍNICA MÉDICA
CASO CLÍNICO
ANTIBIOGRAMA
HOSPITALAR
TERAPIA INTENSIVA
ENFERMARIA
Carlos Eduardo Pompilio

Carlos Eduardo Pompilio

Clínica Médica

CRM: 67539-SP

Médico formado pela Universidade de São Paulo, com residência em Clínica Médica e doutorado em Anatomia Patológica pela USP. Médico assistente do Departamento de Clínica Médica, Disciplina da Clínica Geral do Hospital das Clínicas da FMUSP. Coordenador do Grupo de Estudos e Pesquisa em Literatura, Narrativa e Medicina (GENAM) da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP.

Italo Antunes Franzini

Clínica Médica

CRM: 199840-SP

Possui graduação em Medicina pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2018). Residente de Clínica Médica no Hospital das Clínicas da FMUSP (2020-2022).

Black November Card

Parcerias:

logo GrupoFleury
logo MIT
logo Philips
logo Hospital Sírio-Libanês
logo Saude Id
logo Cannect
logo BricNet

A Pupilla

Siga nossas redes