Últimos dias para aproveitar os melhores descontos do ano 

0

0

Dias

0

0

Horas

0

0

Minutos

0

0

Segundos


Relação de espaços perivasculares dilatados e depósito de amilóide cerebral na doença de Alzheimer

Claudia da Costa Leite

Claudia da Costa Leite

06/08/2021

Atualizado em06/08/2021

1 min

Destaques

  • Relação entre os espaços vasculares dilatados no centro semioval e angiopatia amilóide cerebral.

  • Relação entre angiopatia amilóide cerebral e doenças de Alzheimer.

  • PET amilóide e captação na doenças de amilóide

  • Relação entre espaços vasculares dilatados e captação de amilóide no PET.

Relação de espaços perivasculares dilatados e depósito de amilóide cerebral na doença de Alzheimer

A relação dos espaços perivasculares dilatados na região dos centros semi-ovais e a angiopatia amiloide cerebral (AAC), bem como a relação da doença de Alzheimer (DA) e a angiopatia amiloide foram descritas anteriormente na literatura. Já é sabido que os espaços perivasculares têm um papel importante no sistema glinfático participando da drenagem de líquidos e solutos e postula-se que a sua dilatação esteja relacionada a comprometimento desta função. Por outro lado, sabemos que a captação cerebral de PET-amilóide é um marcador in vivo da DA, já que o depósito do pepitídeo amiloide ocorre nesta doença. Além disso, existe co-existência de DA e AAC em muitos pacientes.
No artigo de Kim HJ et col da AJNR de julho 2021 foi feita uma seleção criteriosa de 68 indivíduos com DA que foram submetidos a estudo de ressonância magnética e PET-amilóide. Observou-se que houve correlação entre a avaliação da dilatação dos espaços perivasculares nos centros semiovais e a presença de positividade de beta-amilóide no PET.
Estes estudos ressaltam a hipótese do papel do sistema glinfático em doenças degenerativas, como a DA. A captação de beta-amilóide nestes pacientes com espaços perivasculares dilatados favorece a hipótese de que o sistema linfático pode ter papel relevante no clearance deste peptídeo. Entendendo melhor o mecanismo fisiopatológico e os fatores que favorecem a DA espera-se poder atuar na prevenção do desenvolvimento desta doença, que tem previsão de aumento da sua prevalência com o aumento da expectativa de vida.


Referências

http://dx.doi.org/10.3174/ajnr.A7155

MRI-Visible Perivascular Spaces in the Centrum Semiovale Are Associated with Brain Amyloid Deposition in Patients with Alzheimer Disease–Related Cognitive Impairment

H.J. Kim, Y.H. Ryu — Publicado em 13/05/2021American Journal of Neuroradiology

DOI: 

10.3174/ajnr.a7155

Tags

DOENÇA DE ALZHEIMER
ESPAÇOS PERIVASCULARES
ANGIOPATIA AMILÓIDE
PET-AMILÓIDE
PEPTÍDEO AMILÓIDE
Claudia da Costa Leite

Claudia da Costa Leite

Radiologia e Diagnóstico por imagem

CRM: 65349-SP

Médica radiologista formada pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Neurorradiologista do Grupo Fleury. Professora Associada do Departamento de Radiologia da Faculdade de Medicina da USP. Coordenadora do Ensino e Pesquisa do INRAD-HCFMUSP. Coordenadora de Pesquisa do Diagnóstico por Imagem do Hospital Sírio Libânes.

Black November Card

Parcerias:

logo GrupoFleury
logo MIT
logo Philips
logo Hospital Sírio-Libanês
logo Saude Id
logo Cannect
logo BricNet

A Pupilla

Siga nossas redes