Últimos dias para aproveitar os melhores descontos do ano 

0

0

Dias

0

0

Horas

0

0

Minutos

0

0

Segundos


[Resolução] Paciente de 24 anos com crises convulsivas tônico-clônicasgeneralizadas. Realizada ressonância magnética para investigação de foco epileptogênico.

Claudia da Costa Leite

Claudia da Costa Leite

04/04/2022

Atualizado em12/04/2022

1 min
[Resolução] Paciente de 24 anos com crises convulsivas tônico-clônicasgeneralizadas. Realizada ressonância magnética para investigação de  foco epileptogênico.

[Caso clínico 1] Paciente de 24 anos com crises convulsivas tônico-clônicas generalizadas. Fez uma ressonância magnética (RM) de crânio para investigação de foco epileptogênico.

RM: Imagem axial pesada em T1 demonstra focos de hipersinal em T1 no lobo 
parietal direito.

.

RM: Imagem axial pesada em T1 após a administração de contraste demonstra 
tênue hipersinal ao redor dos focos no lobo parietal direito. 

RM: Imagem axial pesada em T2* demonstra focos com marcado hipossinal 
devido à susceptibilidade magnética na topografia da lesão vista em T1 no lobo 
parietal direito, bem como outros pequenos focos difusos pelo encéfalo não 
identificados em T1. Este hipossinal ocorre devido a hemossiderina associada a 
hemorragias prévias.


Diagnóstico: Angioma cavernoso ou cavernoma
Angiomas cavernosos são coleções de capilares estruturalmente anormais que 
apresentam fluxo lento. Estão localizados preferencialmente no sistema 
nervoso central (SNC). Na anatomia patológica formam múltiplos capilares em 
forma de “amora” com paredes finas entremeando o parênquima cerebral 
normal. Na imagem podem apresentar aspecto em “pipoca” em T1 por 
formarem áreas globulares de hipersinal que podem ser circundadas por halo 
de hipossinal e nas sequências sensíveis a susceptibilidade magnética (como 
T2* e SWI) apresentam marcado hipossinal pela presença de hemossiderina 
devido a pequenos sangramentos prévios. 
São a segunda malformação vascular mais frequente no SNC, sendo a primeira 
as anomalias do desenvolvimento venoso, que inclusive podem estar 
associadas a angiomas cavernosos.
Na maioria dos casos os angiomas cavernosos são únicos, mas eventualmente 
são múltiplos e neste caso geralmente estão associados a herança autossômica
dominante (forma familial).
Quanto a sangramento clinicamente manifesto, as lesões mais profundas ou 
infratentoriais estão mais associadas a sangramento, bem como lesões 
múltiplas tem maior risco do que lesão única.


Fique por dentro dos conteúdos da Pupilla para mais casos clínicos!


Referências

Familial Cerebral Cavernous Malformations

Atif Zafar, Leslie Morrison — Publicado em 26/03/2019Stroke

DOI: 

10.1161/strokeaha.118.022314

Tags

DIAGNÓSTICO
Claudia da Costa Leite

Claudia da Costa Leite

Radiologia e Diagnóstico por imagem

CRM: 65349-SP

Médica radiologista formada pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Neurorradiologista do Grupo Fleury. Professora Associada do Departamento de Radiologia da Faculdade de Medicina da USP. Coordenadora do Ensino e Pesquisa do INRAD-HCFMUSP. Coordenadora de Pesquisa do Diagnóstico por Imagem do Hospital Sírio Libânes.

Black November Card

Parcerias:

logo GrupoFleury
logo MIT
logo Philips
logo Hospital Sírio-Libanês
logo Saude Id
logo Cannect
logo BricNet

A Pupilla

Siga nossas redes