Últimos dias para aproveitar os melhores descontos do ano 

0

0

Dias

0

0

Horas

0

0

Minutos

0

0

Segundos


Síndrome pós-COVID e declínio cognitivo

Claudia da Costa Leite

Claudia da Costa Leite

15/10/2022

Atualizado em16/11/2022

1 min
Síndrome pós-COVID e declínio cognitivo

No dia a dia do neurorradiologista, após o início da pandemia do COVID-19, temos recebido frequentemente exames de pacientes queixando-se de cefaleia, ansiedade, depressão, insônia e declínio cognitivo. Mas os exames de imagem destes pacientes, em geral, não demonstram nenhuma alteração significativa, dificultando o entendimento desta síndrome.


O que dizem os estudos

Me deparei com um artigo da Dra. Clarissa Lin Yasuda (Arq. De Neuro-psiquiatria 80(6), 2022), uma neurologista e conhecida pesquisadora da UNICAMP, relatando a síndrome pós-COVID que a acometeu. Ela descreve de maneira clara e sincera os sintomas que a acometeram após um quadro leve de COVID em agosto de 2020, quando já tinha escrito um projeto para avaliação neurológica multimodal dos pacientes pós-COVID. No seu quadro de infeccção pelo vírus COVID, ela apresentou cefaleia, dor abdominal, diarréia, insônia, vômitos e soluços. Não apresentou febre, nem alteração do olfato ou paladar ou sintomas respiratórios.

Como já tinha previamente enxaqueca no pós-COVID, a médica também apresentou, subsequentemente, piora deste quadro, com sonolência durante o dia e cansaço. Com isso, claramente notou-se um pior desempenho nas suas atividades profissionais, principalmente na execução de tarefas complexas. Além disso, passou a apresentar ansiedade e depressão.

Foram tentadas várias medicações, com uma melhora somente 16 meses após o quadro, porém, ela ainda acredita que não voltou ao estado basal antes da infecção pelo COVID.


Considerações

Este artigo destaca, de maneira muito clara e pessoal, a experiência e a angústia causadas pela síndrome pós-COVID. Pouco conhecemos sobre o efeito deste vírus no cérebro e sabemos que os exames de imagem realizados com fins clínicos não demonstram alterações, o que frustra o paciente e seu médico. Entretanto, estes pacientes apresentam estes sintomas, necessitam cuidados e, com certeza, nós, médicos, não estávamos preparados para mais esta faceta da pandemia. Como tudo que ocorreu neste período, precisamos nos adaptar.


Você também pode se interessar por:

Minicurso em Imagem no Envelhecimento Normal e Doenças Degenerativas

Dispositivos médicos: bioadesivo para ultrassom chama a atenção de especialistas

Afasia primária progressiva


Referências

My journey after a mild infection with COVID-19: I want my old brain back

Clarissa Lin Yasuda — Publicado em 01/07/2022Arquivos de Neuro-Psiquiatria

DOI: 

10.1590/0004-282x-anp-2022-0062
Claudia da Costa Leite

Claudia da Costa Leite

Radiologia e Diagnóstico por imagem

CRM: 65349-SP

Médica radiologista formada pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Neurorradiologista do Grupo Fleury. Professora Associada do Departamento de Radiologia da Faculdade de Medicina da USP. Coordenadora do Ensino e Pesquisa do INRAD-HCFMUSP. Coordenadora de Pesquisa do Diagnóstico por Imagem do Hospital Sírio Libânes.

Black November Card

Parcerias:

logo GrupoFleury
logo MIT
logo Philips
logo Hospital Sírio-Libanês
logo Saude Id
logo Cannect
logo BricNet

A Pupilla

Siga nossas redes